Nada contra a sua alegria, mas eu tenho a minha forma de ser feliz. E ando rindo muito bem assim: a sós. Meu sorriso também acontece quando não rio. Não precisa de lábios esticados, dentes aparentes. Tenho uma felicidade que sorri para mim e isso, de alguma forma, me basta.

-Eu me chamo Antônio.   (via sacies)

realizes:

♡personal/love♡
Dá vontade de mandar meia dúzia de gente tomar no cu e correr pra casa chorando, se trancar no quarto pra tomar um toddy e jogar playstation até ficar vesga.

-Tati Bernardi.   (via poesografa)

Só quem sobreviveu a uma tempestade sabe a alegria de ver o sol nascer.

-João Daniel.  (via simpatiz-ar)

Sou do tipo que repete, bem baixinho dentro da cabeça, para que a própria consciência não ouça. Te amo muito.

-Gabriel Hudson. (via autoria)

Chorei muito, para algum tempo depois descobrir que aquilo não era choro, era desabafo, o que escorria pelos olhos não eram lagrimas e sim palavras não ditas a ninguém. A gente não chora por uma tristeza só, mas sim por todas as decepções que estão acumuladas e então fazem os olhos transbordar.

-Gabriel Hudson. (via cartas-rasgadas)

Pode-se prometer atos, mas não sentimentos; pois estes são involuntários. Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou sempre odiá-lo ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; no entanto, pode prometer aqueles atos que normalmente são consequência do amor, do ódio, da fidelidade, mas também podem nascer de outros motivos: pois caminhos e motivos diversos conduzem a um ato. A promessa de sempre amar alguém significa, portanto: enquanto eu te amar, demonstrarei com atos o meu amor; se eu não mais te amar, continuarei praticando esses mesmos atos, ainda que por outros motivos: de modo que na cabeça de nossos semelhantes permanece a ilusão de que o amor é imutável e sempre o mesmo. — Portanto, prometemos a continuidade da aparência do amor quando, sem cegar a nós mesmos, juramos a alguém amor eterno.

-Friedrich Nietzsche.     (via inverbos)